Alunos baianos criam aplicativo que incentiva mulheres a denunciar violência


O aumento no número de feminicídios no estado da Bahia nos últimos anos causou preocupação em dois ex-estudantes de uma escola da rede pública estadual, em Salvador, que se uniram para criar um aplicativo com o objetivo de incentivar mulheres a denunciar casos de violência.

A ferramenta, batizada de ‘Conscientizando’, está disponível para celulares com o sistema Android. Os idealizadores são Alan Robert do Carmo, de 18 anos, e Carlos Eduardo Soares, de 19.

Em 2018, 70 feminicídios foram registrados em todo o estado da Bahia, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). Comparando ao ano anterior, houve um aumento de 6,1% nos casos — em 2017, o estado registrou 66 feminicídios. Em todo o país, o número de mulheres mortas em crimes de ódio motivados pela condição de gênero também subiu — foram 1.173 no ano passado, ante 1.047 em 2017.

Em 2019, a SSP-BA ainda não divulgou dados de feminicídios. Nos 95 primeiros dias do ano, somente as duas delegacias especializadas de atendimento à mulher de Salvador, localizadas nos bairros de Periperi e Brotas, contabilizaram mais de 3 mil denúncias de violência contra mulheres.

Os estudantes dizem que não houve na família deles nenhum registro de violência, mas que se mobilizaram pela quantidade casos que viram nos jornais nos últimos tempos.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não reflete a opinião deste site. Todos os comentários são moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas inadequadas com conteúdo ofensivo como palavrões ou ofensa direcionadas a pessoas ou instituições. Além disso, não serão permitidos comentários com propaganda (spam) e links que não correspondam ao post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *