Cientistas criam implante cerebral que pode detectar e curar a depressão profunda


Um pequeno implante elétrico instalado no crânio e conectado ao cérebro que pode detectar e tratar a depressão, inclusive a mais severa: essa revolução já é uma realidade e pode beneficiar milhões de pessoas em todo o mundo.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, em San Francisco, nos EUA, são os responsáveis pelo desenvolvimento do implante e divulgaram recentemente o tratamento experimental feito com uma paciente chamada Sarah.

Sarah, de 36 anos, recebeu o dispositivo há cerca de um ano e teve sua vida transformada. Segundo ela, o implante do tamanho de uma caixa de fósforos está sempre ‘ligado’, mas só emite um impulso elétrico quando percebe que a mulher precisa dele.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não reflete a opinião deste site. Todos os comentários são moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas inadequadas com conteúdo ofensivo como palavrões ou ofensa direcionadas a pessoas ou instituições. Além disso, não serão permitidos comentários com propaganda (spam) e links que não correspondam ao post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *