Covid-19: CoronaVac tem eficácia geral de 50,38%, aponta estudo do Butantan


 

A informação foi passada para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, junto com o pedido para o registro emergencial da vacina, de acordo com a Folha de S. Paulo. Um imunizante precisa do mínimo de 50% de eficácia para ser aprovado.

Os dados iniciais apontavam 78% de eficácia contra casos leves da Covid-19, e de 100% contra casos moderados e graves. Este novo estudo, porém, inclui pessoas que ficaram assintomáticas após serem infectadas pelo novo coronavírus, e foram analisadas pelo estudo de fase 3 do Butantan. Ao todo, 13.600 pessoas participaram da pesquisa.

Destas, 218 foram infectadas, sendo que 160 receberam um placebo e 60 a CoronaVac. Até agora, o pedido para uso emergencial do Butantan à Anvisa está 40,7% concluído, com 37,64% da documentação em análise. A agência tem o prazo de dez dias para completar a avaliação.

“Pegamos pessoas que estavam com sintomas muitíssimo leves, justamente para abaixar essa barra. Isso faz com que o número fique mais baixo”, revelou o médico Ricardo Palácios, diretor de pesquisa clínica do Instituto Butantan.

O governador de São Paulo, João Doria, suspeita de ação política, pois a vacina produzida pela Fiocruz, vinda de Oxford/AstraZeneca, já tem mais de 67% dos documentos em análise, apesar do pedido estar 27,35%% concluído.

Em relação à segurança da vacina, o Instituto Butantan informou que não ocorreram eventos adversos graves. Alguns sintomas leves, como fadiga e dor de cabeça, foram notados. Além disso, 0,3% dos participantes do estudo desenvolveram algum tipo de reação alérgica leve.

Bahia Notícias

Aviso: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não reflete a opinião deste site. Todos os comentários são moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas inadequadas com conteúdo ofensivo como palavrões ou ofensa direcionadas a pessoas ou instituições. Além disso, não serão permitidos comentários com propaganda (spam) e links que não correspondam ao post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *