Luciano Ribeiro afirma que acusações de Rui contra médicos do Planserv são ‘desrespeito’


 

O líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Luciano Ribeiro (DEM), criticou o governador da Bahia, Rui Costa, por acusar médicos do Planserv de cometerem fraudes ao atuar em clínicas e também dizer que os usuários do plano desperdiçam exames.

Para o democrata, com essas declarações, Rui desrespeita os servidores públicos do estado e as prestadoras de saúde. “O governador incrimina de forma irresponsável as prestadoras de saúde e ofende moralmente a classe. Além disso, em lugar de melhorar o Planserv, o governador desqualifica-o. Vale lembrar que o Planserv é o único plano que não existe inadimplência, já que a mensalidade é debitada no salário dos servidores”, afirmou Luciano.

Ainda segundo o líder, o governador mudou de forma “açodada e sem transparência” a gestão do plano de saúde.

Ele disse que a empresa catarinense Qualired foi contratada para a função, criando cotas e cortando o atendimento do funcionalismo público do estado. “O governo reduziu a sua participação no plano de 5% para 4%, no ano de 2015, ou seja, diminuiu a sua contribuição e arrochou a taxa para os servidores”, criticou.

As declarações polêmicas de Rui foram feitas na última sexta-feira (29), durante a inauguração da Policlínica Regional de Valença. “Às vezes, quem pede o exame é o médico que trabalha na clínica particular que faz o exame. Ele ganha comissão por exame feito. Nós precisamos mudar isso. Contratei uma consultoria agora para fazer a fiscalização com software altamente sofisticado, que vai fazer cruzamentos e identificar eventuais fraudes”, afirmou na ocasião.

Após a declaração, o Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb) e a Associação Bahiana de Medicina (ABM) exigiram que o governador apontasse os supostos médicos envolvidos nas fraudes.

Informações Bahia Notícias 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não reflete a opinião deste site. Todos os comentários são moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas inadequadas com conteúdo ofensivo como palavrões ou ofensa direcionadas a pessoas ou instituições. Além disso, não serão permitidos comentários com propaganda (spam) e links que não correspondam ao post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *