Rui Costa fecha uma das maiores escolas da Bahia, Colégio Odorico Tavares


Mal o Colégio Estadual Odorico Tavares encerrou suas atividades, o setor imobiliário já está de olho no imóvel. Trata-se de uma área de 5 mil metros quadrados no Corredor da Vitória, o bairro que tem o metro quadrado mais caro de Salvador – custa, em média, R$ 15 mil. O colégio, que funcionou ali por 25 anos.

Enquanto o governo do estado alega que vender o terreno vai possibilitar a construção de mais escolas na periferia, professores e ex-alunos da instituição avaliam que, por trás dos argumentos oficiais, houve uma manobra para forjar uma baixa procura pelo colégio. Eles acusam o governo de sabotar o sistema de matrículas online para reduzir os números de estudantes ano a ano, cedendo à especulação imobiliária.

Sob anonimato, uma professora da escola avaliou a decisão do governo como equivocada. “Querem confinar meninos e meninas negras em seus bairros. O espaço daquele colégio é privilegiado porque está no centro cultural da cidade, perto de cinema, museu, teatro, universidades. Os professores promovem integração com esses espaços vizinhos ao colégio, por mais que os espaços sejam negados pela comunidade endinheirada que vive ali”.

Via Correios


China tem 17 mortes provocadas pelo coronavírus; já são mais de 440 casos, com o carnaval vírus pode entrar no Brasil


Subiu para 17 o número de mortes provocadas pelo coronavírus, que já infectou 444 pessoas na província de Hubei, na China, segundo balanço divulgado pela TV estatal, citando autoridades locais. Foi na capital de Hubei, Wuhan, megalópole de 11 milhões de habitantes, em que foram registrados os primeiros casos de contaminação.

Casos já foram registrados em Macau, na costa sul chinesa, e em vários outros países. Além da China, Estados Unidos, Japão, Tailândia, Taiwan e Coreia do Sul já foram afetados pelo vírus, que provoca um tipo de pneumonia. Há casos suspeitos no México, em Hong Kong, nas Filipinas e na Austrália.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) se reúne nesta quarta em Genebra, na Suíça, e pode decretar “emergência de saúde pública de interesse internacional”.

Até o momento, a OMS usou essa denominação apenas em casos raros de epidemias que exigem uma vigorosa resposta internacional, como a gripe suína H1N1 (2009), o zika vírus ( 2016) e a febre ebola, que devastou parte da população da África Ocidental de 2014 a 2016 e atinge a República democrática do Congo desde 2018.


Dono da única redação nota mil do Enem na Bahia, jovem de 19 anos sonha em estudar medicina na Uesb


João Pedro Silva Bonfim, de 19 anos, é o dono da única nota 1.000 na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) da Bahia. O jovem mora na cidade Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, e sonha em cursar medicina na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

“Foi a quarta vez que fiz o Enem, mas foi a segunda valendo, porque nas duas primeiras vezes eu ainda não podia me inscrever em cursos. Eu terminei o ensino médio em 2018, mas não consegui ser aprovado no curso que eu queria, aí eu fiz de novo em 2019”, disse João Pedro.

“Quando eu era pequeno eu queria ser astronauta. Era um sonho de criança, queria descobrir o espaço, porque é um local que ninguém conhece. Ia ser legal descobrir o novo, mas o tempo foi passando e eu fui perdendo o interesse, os olhos pararam de brilhar”, contou o estudante.

João Pedro disse que sempre gostou de estudar e que apesar de tirar 980 na redação do Enem em 2018, fez um curso específico no ano passado e se preparou melhor.

“Ano passado eu tentei aplicar em medicina, e esse ano eu vou tentar de novo. A segunda opção é a área de linguagens, que eu gosto bastante. Pode ser Letras ou Relações Internacionais. Eu tenho visto que [medicina] é uma área valorizada no mercado”.

“Eu tentei argumentar falando do cinema muito como uma forma de conscientização e como uma forma de conhecimento aliada à arte, porque o cinema obviamente é a sétima arte. Eu tentei partir mais para esse lado da conscientização e do conhecimento”.

João Pedro usou o filme “O Grande Ditador”, escrito, protagonizado e dirigido por Charles Chaplin para fazer um paralelo entre os anos 40 e 2019. Para o jovem, a ideia era trazer a importância sobre a população ter a consciência da gravidade do preconceito.

“Eu falei de Charlie Chaplin, que é um filme antigo, de 1940, chamado O Grande Ditador. É um filme que fala de preconceito, um tema que envolve a atualidade, que fala do antissemitismo, que é o preconceito contra os judeus, e eu tentei abordar isso e fazer um paralelo com a realidade, sobre como é importante a população ter a consciência do preconceito e da gravidade que é isso, e das consequências que isso já trouxe para humanidade”, disse o jovem

“Eu falei também da ditadura, que é um tema atual, porque desde o ano passado alguns grupos pelo Brasil chamaram atenção por defender medidas antidemocráticas, medidas até autoritárias, pedindo a volta de um sistema ditatorial. Tentei fazer esse paralelo com a realidade [presente] e com o passado, e tentei deixar o texto mais contemporâneo… Tentar pegar do passado e fazer uma conexão com o presente”, concluiu.

Informações do G1

Brasil teve queda de 21% nas mortes violentas em 9 meses de 2019, aponta governo


O Brasil teve uma redução de 21% no número de assassinatos nos primeiros nove meses de 2019 em comparação com o mesmo período de 2018. Os dados são do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e foram divulgados pela pasta nesta quinta-feira (16).

O Sinesp aponta que, entre janeiro e setembro do ano passado, foram registradas em todo o país 31.334 mortes violentas — que incluem homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, os chamados Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). Já no mesmo período de 2018, foram 39.793 casos.


Umbuzeiro árvore milagrosa do sertão apreciado por nativos e visitantes.


O nordeste é dotado de uma grande variedades de árvores frutíferas, mas uma delas se destaca na preferência popular: O Umbu. De Novembro a Março várias regiões do Norte de Minas até a mais longínqua caatinga Nordestina o Umbu é apreciado por nativos e visitantes.

As duras secas do sertão nordestino dificultam a vida de muitas plantas, mas o umbuzeiro esta lá, de pé! Segundo o site Acervo Caatinga “As raízes têm batatas que funcionam como uma espécie de caixa d’água. A água fica dentro dessas batatas. E como são centenas enterradas, elas vão irrigando a árvore.Pesquisas mostram que um umbuzeiro adulto chega a acumular aproximadamente 1.500 litros de água. E é por isso que ele atravessa todo o período seco bem verdinho e dando frutos.”
O umbuzeiro é realmente uma planta bendita para o sertanejo! Do seu fruto se faz a umbuzada, receita tradicional que ganhou o mundo e encanta pelo seu sabor singular. O umbu também pode servir de comida para as criações de animais, visto que pela sua longevidade e boa dispersão de sementes, os pés de um umbu são encontrados em muitos locais e produzem frutos, mesmo nas secas. Diante de tamanha resiliência, o umbuzeiro representa em si a força do povo que com ele habita.