Coronavírus: Justiça suspende missas no Santuário Nacional de Aparecida em SP


Por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no mundo e o avanço dos casos no Brasil, a Jusitça determinou neste sábado (14) a suspensão de missas e eventos no Santuário Nacional de Aparecida, que fica em São Paulo. A ação foi proposta pelo Ministério Público.

“Pelo exposto, antecipo os efeitos da tutela, em razão da ameaça de contaminação e disseminação da doença, por se trata de medida de saúde pública, evitando-se, assim, a exposição de diversas pessoas ao vírus, bem como suas consequências , deferindo a liminar para impedir a realização de quaisquer eventos no Santuário Nacional de Aparecida (…)”, diz trecho da decisão da juíza Luciene Belan Ferreira Allemand.

De acordo com o G1, a suspensão é por 30 dias com a possibilidade de prorrogação. O prazo estipulado afeta as celebrações da Sexta-feira Santa e Páscoa no Santuário, que comporta  35 mil fiéis em torno do Altar Central, onde são realizadas as principais celebrações. Vale dizer, contudo, que as visitas aos fiéis estão liberadas. Além disso, a limpeza dos espaços comuns foi reforçada e o posto médico do templo criou um fluxo de atendimento orientado pela Secretaria de Saúde.


Covid-19: Governo antecipa 13º salário aos aposentados e pensionistas do INSS para o mês de abril


 

O Ministério da Economia (ME) instituiu nesta quinta-feira (12), o grupo de monitoramento dos impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus, o COVID-19. Voltada para a população mais vulnerável ao vírus, que são os idosos, a primeira providência do grupo é antecipação para abril do pagamento de R$ 23 bilhões referentes a parcela de 50% do 13º salário aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O grupo será constituído por representantes de todas as Secretarias Especiais e será coordenado pelo secretário-executivo, Marcelo Guaranys. As diretrizes das medidas a serem instituídas serão baseadas nas decisões do Ministério da Saúde, em linha com a Presidência da República.

A ideia é que o grupo detecte riscos potenciais e apresente soluções tempestivas, com medidas que mitiguem os impactos econômicos causados pela pandemia no Brasil.

Neste momento crítico, mesmo diante do exíguo espaço fiscal, o ME buscará, em conjunto com a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, a realocação ágil de recursos orçamentários para que não falte suporte ao sistema de saúde brasileiro.

Na reunião desta quinta (12), o grupo elencou as primeiras providências que serão adotadas, dedicadas especialmente à parcela da população mais vulnerável à pandemia:

1) Antecipar para abril o pagamento de R$ 23 bilhões referentes a parcela de 50% do 13º salário aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS);

2) Suspender a prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias;

3) Propor ao Conselho Nacional da Previdência Social a redução do teto dos juros do empréstimo consignado em favor dos beneficiários do INSS, bem como a ampliação do prazo máximo das operações. Encaminhar proposta de ampliação da margem consignável;

4) Definir junto ao Ministério da Saúde lista de produtos médicos/hospitalares importados que terão preferência tarifária para garantir o abastecimento;

5) Priorizar desembaraço aduaneiro de produtos médicos/hospitalares.


Estudante diz à polícia que matou amiga com 35 facadas porque a vítima falava mal dela nas redes sociais


Uma estudante de 15 anos foi apreendida como suspeita de matar Emanuelle Souza Batista, de 14 anos, com 35 facadas e incinerar o corpo dela em um parque de Rio Verde, região sudoeste de Goiás. Segundo o titular da Delegacia de Apuração de Atos Infracionais (Depai), Danilo Fabiano, a adolescente confessou o ato.

G1 não conseguiu localizar a defesa da adolescente. O delegado explica que a família não constituiu um advogado até a publicação desta reportagem e não divulgou o contato da mãe da estudante, que a acompanhou durante o depoimento.

A família de Emanuelle registrou o desaparecimento dela em 14 de janeiro deste ano. O corpo foi encontrado queimado dois dias depois, no Bairro Veneza.

A vítima e a suspeita frequentavam a mesma escola. A apreensão da adolescente ocorreu na terça-feira (10), na residência onde mora com a mãe. Segundo o delegado, a Justiça decretou internação provisória de 45 dias para a adolescente.

O delegado explicou que identificou a suspeita com auxílio de câmeras de segurança instaladas nas imediações do parque. As imagens mostram as duas adolescentes em direção a um matagal, onde o corpo foi encontrado.

A adolescente contou à polícia ter atraído a colega para a emboscada com a promessa de dividirem uma falsa quantidade de droga enterrada no matagal. Segundo o delegado, as duas adolescentes faziam uso periódico de entorpecentes.

Crime

Após atrair a colega ao matagal, a autora golpeou a vítima com 35 facadas, segundo o delegado Danilo Fabiano. O laudo pericial no corpo apontou ferimentos nas costas, pescoço, tórax e outros membros.

O delegado conta que a adolescente retornou à cena do crime no dia seguinte para queimar o corpo com objetivo de apagar vestígios, como digitais no corpo da vítima. A faca usada no homicídio foi enterrada no quintal da residência da própria suspeita. Já o celular de Emanuelle estava enterrado em um lote baldio próximo à casa da menina apreendida.

As indicações dos locais onde o corpo foi queimado e dos enterros dos objetos foi feito pela suspeita no momento da apreensão, conforme explicou Danilo Fabiano.


Mensagens mostram como professor oferecia a filha para favores sexuais: ‘Podemos dar carinhos’


TV TEM teve acesso a parte das conversas nas quais o professor preso durante operação de combate à pornografia infantil e estupro de vulnerável oferece a filha para atos sexuais em troca de dinheiro. Os diálogos estavam no celular do suspeito que foi apreendido durante a operação deflagrada nesta terça-feira (10).

Na troca de mensagens por WhatsApp, o professor, que, segundo investigações, se passava por mulher em redes de relacionamento, fala que precisa de ajuda financeira para cuidar da filha que teria 6 anos e, em troca desse valor, ele e a menina poderiam “dar carinhos”.

“Quero alguém que me ajude com a grana para cuidar da minha filha. E em troca eu e ela podemos dar carinhos. Entende? Em sigilo”, diz a mensagem

Segundo a delegada responsável pela operação, em depoimento, o suspeito confessou a autoria das mensagens e disse que oferecia a filha porque era uma fantasia sexual que tinha. No entanto, nenhum ato teria se concretizado e tudo isso será investigado.

“As investigações vão prosseguir até para apurar o crime de estupro de vulnerável dessa filha ou de outras crianças”, destaca a delegada Adriana Pavarina, da Delegacia de Defesa da Mulher.

O suspeito foi identificado após denúncia, segundo a polícia. A linha telefônica dele estava cadastrada com dados falsos de outra professora. Ele foi preso em um hotel em Assis e, com o homem, foram apreendidos celulares e dois computadores.

A polícia também cumpriu mandados de busca e apreensão no endereço do professor em Marília e na Secretaria Municipal de Educação, onde ele exerce um cargo administrativo. Ainda segundo a polícia, ele é professor da rede estadual de ensino.

Em nota, a prefeitura de Assis informou, por meio da Secretaria Municipal de Educação, que o servidor da pasta ocupa cargo administrativo na sede da secretaria. Disse ainda que a prefeitura vai colaborar com as investigações e que a acusação contra ele ocorre fora do serviço público.

Já a Secretaria Estadual da Educação, por meio da Diretoria Regional de Ensino, afirma em nota que uma apuração preliminar foi aberta e, se comprovada, serão aplicadas as penalidades pertinentes.

A diretoria afirma estar à disposição dos pais e responsáveis pelos alunos para quaisquer esclarecimentos e que irá colaborar com as investigações policiais.

“As investigações vão prosseguir até para apurar o crime de estupro de vulnerável dessa filha ou de outras crianças e se essas fotos e vídeos enviados são de crianças que fazem parte do círculo social ou profissional desse suspeito”, completa a delegada.

O homem foi levado para uma cela na Central de Polícia Judiciária de Assis e deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira (10).

Em nota, a prefeitura de Assis informou, por meio da Secretaria Municipal de Educação, que o servidor da pasta ocupa cargo administrativo na sede da secretaria. Disse ainda que a prefeitura vai colaborar com as investigações e que a acusação contra ele ocorre fora do serviço público.

Já a Secretaria Estadual da Educação, por meio da Diretoria Regional de Ensino, afirma em nota que uma apuração preliminar foi aberta, e se comprovada, serão aplicadas as penalidades pertinentes.

A diretoria afirma estar à disposição dos pais e responsáveis pelos alunos para quaisquer esclarecimentos e que irá colaborar com as investigações policiais.


Dr Drauzio Varella divulga vídeo e pede desculpas a família da vítima de Suzi


Após a imensa repercussão da reportagem do Fantástico e da subsequente divulgação do crime hediondo cometido pela detenta trans Suzi, o Dr Drauzio Varella, há poucos minutos, divulgou uma nota através de seu canal do Youtube onde descreve o acontecido em detalhes e desculpa-se tanto com as pessoas que possa ter ofendido quanto com a família da vítima.

O vídeo mostra também sua postura sempre transparente e humanitária, mesmo mediante um erro admitido.