Após tomar vacina da Pfizer, Rui disse que preferiria ‘aguardar para tomar a Sputnik’


Já imunizado com vacina produzida pela farmacêutica norte-americana Pfizer, o governador Rui Costa (PT) disse que, se dependesse dele, teria aguardado para tomar a vacina russa Sputnik V. Rui participou do “Papo Correria”, nesta terça-feira (11).

“Eu queria tomar a Sputnik. Tem mais 90% de taxa de eficácia. A vacina que Salvador está disponibilizando é a da Pfizer para pessoas como eu. Eu não disse que quero tomar essa vacina. Salvador foi a única cidade [na Bahia] que recebeu, está com um lote grande, não só o governador. A família pressionou e fui tomar a vacina”, disse.


Governador da Bahia, Rui Costa, poderá depor na CPI da COVID-19


O senador Marcos Rogério (DEM-RO), vice-líder do governo no Congresso, apresentou um requerimento para que o governador da Bahia, Rui Costa (PT), seja convocado a depor na CPI da Covid. Além do petista baiano, ele quer a convocação dos governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e do Pará, Helder Barbalho (MDB).

Segundo o G1, as justificativas são praticamente iguais, mudando apenas o nome do governador. Marcos Rogério usa informações sobre a pandemia, que classifica como “um dos maiores desafios para cidadãos, cientistas e governos de todo o mundo” e diz que “a convocação supracitada será de importância singular para que exponha sua atuação e seus conhecimentos sobre os fatos acima relacionados”.

Para que os governadores sejam, de fato, convocados a depor, os pedidos de Marcos Rogério precisarão ser analisados pela comissão.


Em 24 horas, CPI da Covid soma mais de 170 pedidos de informação e convocação


Nas primeiras 24 horas de funcionamento, a CPI da Covid acumula 176 pedidos de informação a órgãos públicos e convocação de ministros, ex-ministros e auxiliares do governo de Jair Bolsonaro.

A CPI foi instalada nesta terça e, durante a sessão, o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), apresentou um plano inicial de trabalho. Esse plano prevê, por exemplo, a convocação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e dos três ex-ministros da pasta no governo Bolsonaro. A votação do plano está prevista para esta quinta.

Até o fim da manhã desta quarta-feira (28), foram protocolados 176 requerimentos. A maioria foi apresentada por parlamentares independentes e de oposição, maioria na comissão.

Os parlamentares aliados do Palácio do Planalto, contudo, miram principalmente contratos referentes a estados e municípios e medidas de tratamento precoce.

Os requerimentos podem ser protocolados por todos os membros da CPI e devem ser submetidos a votação no plenário da comissão.

A CPI da Covid será responsável por apurar ações e omissões do governo federal e eventuais desvios de verbas federais enviadas aos estados para o enfrentamento da pandemia.

No primeiro discurso como relator, Renan Calheiros disse que a comissão não fará perseguições, mas que é preciso punir “imediata e emblematicamente” os responsáveis pelas mortes durante a pandemia.


CPI da Pandemia é instalada e Renan Calheiros é confirmado relator


Em meio a muita polêmica sobre a indicação do senador Renan Calheiros (MDB-AL) para a relatoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado, a comissão foi instalada nesta terça-feira (27), confirmando o parlamentar no posto.

Depois de uma tentativa fracassada do senador Eduardo Girão (Podemos-CE) de assumir a presidência da CPI, foi eleita, por oito votos, a chapa encabeçada pelo senador Omar Aziz (PSD-AM) com Randolfe Rodrigues (Rede- AP) na vice-presidência. Conforme o regimento interno da Casa, a eleição secreta foi feita por meio de urna eletrônica.

Durante a reunião, uma liminar da Justiça Federal de Brasília, concedida ontem (26), que vetava a indicação de Calheiros ao posto de relator foi cassada pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) por meio de um recurso apresentado pela Advocacia-Geral do Senado e pelo MDB.

Ao assumir oficialmente os trabalhos, Aziz anunciou Renan na relatoria e se comprometeu em conduzir os trabalhos de forma técnica, “sem buscar nada além da verdade, seja contra quem for”.

“Não podemos proteger ninguém em nome de quase 400 mil óbitos”, ressaltou.

Questões de ordem
O presidente eleito indeferiu a questão de ordem dos senadores Jorginho Mello e Marcos Rogério (DEM-RO) contra as indicações dos senadores emedebistas Renan Calheiros e Jader Barbalho (PA) para integrar o colegiado. Para os senadores, como pais de governadores de estado, Renan Filho (AL) e Helder Barbalho (PA), respectivamente, os parlamentares seriam suspeitos. O questionamento foi feito porque os chefes dos executivos estaduais podem ter que explicar à CPI a aplicação de recursos repassados pela União para o enfrentamento da pandemia.


Senador sugere que Otto Alencar deixe CPI da Pandemia e parlamentares batem boca


Durante a instalação da CPI da Pandemia no Senado Federal, nesta terça-feira (27), o senador baiano Otto Alencar (PSD), que preside a sessão, indeferiu uma questão de ordem apresentada pelo senador Ciro Nogueira (PP) e os dois protagonizaram uma discussão.

Nogueira pediu o adiamento da instalação da CPI com o argumento de que membros titulares da Comissão são integrantes de outras Comissões de Inquérito Parlamentar, a exemplo do próprio Otto, que compõe a CPI da Chapecoense. Segundo o senador Ciro Nogueira, isso estaria fora do que é previsto no regimento da Casa.

Otto Alencar, por sua vez, indeferiu o pedido e sugeriu que a questão de ordem se tratava de uma tentativa do senador Ciro Nogueira de atrapalhar e impedir a instalação da CPI.

Ciro Nogueira acusou Otto de não respeitar o regimento da Casa. E o senador baiano rebateu sugerindo que Nogueira fizesse questionamentos para o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (DEM), que é o responsável por indicar os integrantes da comissão.

“Essa é uma Comissão Parlamentar de Inquerito, não é temática”, explicou Otto”, explicou Otto.

A CPI da Pandemia da Covid-19 no Senado vai apurar possíveis omissões do governo federal brasileiro na condução da crise sanitária da Covid-19. Na sessão desta terça serão definidos o presidente e o vice-presidente da CPI. O favorito à presidência é o senador Omar Aziz.